Sexo Anal: Dicas para Iniciantes


02-08-2012 20:52

 Prazer & Sexo
A sexóloga Fátima Protti responde dúvidas das leitoras

Fátima Protti: Fazer sexo anal contrariada ou só para evitar uma possível traição é um grande erro.

24/01/2012 12:23

Eu odeio sexo anal, mas é impressionante a tara dos homens por isso. Quando faço, me sinto mal, usada, nada de bom. Se não faço fico insegura, acho que ele vai procurar com outra. Ajude-me com esse dilema! Como fazer isso ser mais prazeroso? Ou deixo pra lá?


Nem todas as mulheres curtem sexo anal. Para boa parte delas, inclusive, a ideia pode ser confusa e provocar repulsa. Esse sentimento surge por diversos motivos: entendem o sexo anal como um ato de submissão; julgam como uma prática anormal e perversa no sentido moral ou religioso; acham que é sujo; sentem medo da dor ou de causar danos ao organismo, como alargamento, perda do controle da musculatura anal e surgimento de hemorroidas – crenças infundadas diante de certos cuidados.

Fazer sexo anal contrariada ou só para evitar que o parceiro busque esse prazer com outra mulher pode detonar uma grande resistência inconsciente.


Como resultado pode ocorrer contrações involuntárias da musculatura anal e dificuldade de penetração.
Já tentou e sexo anal não é mesmo a sua praia? Então tenha um conversa franca com o seu parceiro sobre a inviabilidade disso na sua vida. Existem muitas formas de dar e receber prazer. Além disso, o bom sexo não resulta de uma única prática, mas de um conjunto. A insistência por parte dele pode causar desconforto, raiva, evitação e até distanciamento, e isso precisa ser dito.


Você menciona que existe uma “tara” pelo sexo anal, e isso é verdade. Para muitos homens – não para todos – o prazer encontrado no sexo anal é fruto das suas fantasias de conquista, domínio e poder, além da superestimulação local, por ser o ânus um local apertado.


Fazer ou não fazer? Os dois precisam querer, esse é um bom começo.


Para quem vai iniciar, alguns cuidados podem ser tomados na tentativa de tornar o sexo prazeroso e sem riscos:

 

  • evacuar antes previne que as fezes surjam durante a prática, evitando uma situação constrangedora;
  • a iniciação deve ser devagar, gradativa e com atenção para a intensidade dos movimentos durante a penetração;
  • ele deve lambuzar o dedo indicador com o gel lubrificante à base de água, fazer movimentos circulares ao redor do ânus e introduzir devagar o dedo para estimular, dessensibilizar o local até que ela se acostume ou perca o medo;
  • lubrificar bem o pênis com o gel e introduzir aos poucos assim que ela manifeste segurança e pronta para experimentar. Às vezes é preciso algumas transas para a introdução total, mas se houver resistência esqueça e busque outra prática;
  • para facilitar o prazer estimular o clitóris durante a penetração;
  • nunca praticar o sexo vaginal após o anal sem trocar a camisinha ou higienizar o pênis para evitar a transmissão de bactérias. O mesmo risco ocorre no contato da língua ou dos lábios no ânus;
  • ele deve urinar após a transa para limpar a uretra e ela higienizar bem o local;
  • a camisinha deve ser usada se não existir uma fidelidade sexual.

Texto retirado do site www.delas.com.br/amoresexo

© 2014 Fatima Protti. Todos os direitos reservados.